Objetivos do 25 CUIEET

¿Porquê “Inovação no ensino técnico num mundo por competências”?

No RD 1393/2007 através do qual se estabelece a organização do ensino universitário oficial, recolhe-se que “… os planos de estudos que conduzem à obtenção de um curso deverão ter na base dos seus objetivos a aquisição de COMPETÊNCIAS por parte dos estudantes, ampliando, sem excluir, o tradicional enfoque baseado nos conteúdos e horas letivas (…) Deve-se dar ênfase aos métodos de aprendizagem destas competências assim como aos procedimentos para avaliar a sua aquisição. (…) A nova organização do ensino aumentará a empregabilidade dos graduados (…)”.

Deste modo, torna-se evidente que no contexto do EEES insta-se que passemos de uma atuação mais focada em conteúdos e professores para outra mais focada nas competências e no aluno.

A esta questão parecem responder, não só para o âmbito educativo do EEES, mas também para os níveis pré-universitários (Ordem ECD/65/2015, de 21 de janeiro), as exigências que a sociedade num primeiro plano, e as organizações e empresas num segundo, estão a formular em relação ao desenho dos modelos educativos mediante os quais devemos formar os alunos.

No site da UNESCO sobre Rethinking Education, podemos ler que “as transformações complexas e estreitamente relacionadas do século XXI propõem novos desafios aos sistemas educativos no mundo inteiro. O diálogo sobre políticas de base empírica e a investigação prospetiva são fundamentais para fortalecer a capacidade coletiva e para preparar o futuro da aprendizagem num contexto mundial em plena mutação. … É preciso reformular os princípios básicos que possam orientar a formulação de políticas e métodos para o futuro da aprendizagem…”.

Desde a XXII edição do CUIEET realizada em Almadén, as competências são objeto de uma área temática específica, se bem particularizadas nas chamadas transversais. Na XXIII edição avançou-se no conceito incluindo a área temática 7 sob a designação de ensino superior baseado em competências, evolução que se manteve e ampliou na última edição celebrada em Cádiz no ano passado, compreendendo outros aspetos relacionados com o ensino baseado em competências, incluindo as competências profissionais.

É objetivo desta 25ª edição do CUIEET que a sua base, incluindo as conferências plenárias, as mesas redondas, assim como os workshops e outras novidades projetadas nele, girem em torno do conceito COMPETÊNCIA, sem esquecer a sua essência como fórum de debate e reflexão, que deve continuar a ser, sobre qualquer tipo de experiência nas diferentes áreas temáticas que tradicionalmente o conformaram. Também se pretende que facilite a melhoria do processo ensino-aprendizagem e a qualidade dos cursos técnicos, bem como as relações univesidade-sociedade-empresa, as relações internacionais e a mobilidade, a sustentabilidade e, por último, a inovação em qualquer área de interesse relacionada com os diversos agentes implicados no desenvolvimento destes tipos de ensino.

Para alcançar os objetivos perseguidos nesta edição do CUIEET focados no núcleo COMPETÊNCIA, foi selecionada a série de áreas temáticas que mostramos no quadro seguinte, foram ampliadas as modalidades de participação, potenciaram-se os mecanismos de seleção de comunicações e de difusão das mesmas através de várias formas de publicação, assim como as relações entre os assistentes de forma a que se permita aumentar a networking obtida com a passagem pelo Congresso e com os possíveis projetos que a partir do evento possam ser desenvolvidos posteriormente de forma colaborativa. Finalmente, desenvolver-se-ão atividades que potenciem a parte lúdica associada ao evento, novidades essas que poderá observar ao pormenor na Secção Novidades presente neste espaço.

Área Temática
1 Inovação no Ensino Científico-Técnico pré-universitário
2 Formação por Competências no Ensino Técnico
3 Inovação Educativa no Ensino Técnico
4 Novas Tecnologias e Ensino Técnico
5 Qualidade no Ensino Técnico
6 Avaliação no Ensino Técnico
7 Saídas Profissionais do Ensino Técnico
8 Universidade/Empresa/Sociedade vs Ensino Técnico
9 Internacionalização do Ensino Técnico
10 Orientação no Ensino Técnico
11 Desenvolvimento e implementação de novos cursos
12 I Encontro Innovation & Young Engineers

O facto de serem estas as temáticas escolhidas não é insubstancial, mas fruto da adoção dos critérios: por um lado, de manter as tradicionais áreas que em cada edição são objeto de análise e reflexão, e por outro, incluir aqueles aspetos que pontualmente têm uma grande transcendência no contexto temporal em que se enquadra esta edição, tais como a formação por competências, a internacionalização do ensino ou a orientação. Além disso, e de forma particular, a área temática 12 corresponde ao / Encontro sobre Inovação e Jovens Engenheiros (I&YE) que se pretende desenvolver nesta edição, com o desejo de uma continuidade posterior.

Finalmente, na organização destas temáticas procurou-se começar pelos níveis prévios à Universidade para, sucessivamente, ir passando pelos diferentes estratos em que podemos dividir o processo ensino-aprendizagem, até chegar à relação do graduado deste tipo de ensino com as Empresas onde desempenham a sua profissão e/ou com as Escolas Profissionais que velam pelo seu correto desempenho, em particular, e com a Sociedade em geral. Uma vez que tenhamos toda essa informação, objeto de análise e debate neste encontro, estaremos na disposição de abordarmos o desenvolvimento e a implementação de novos cursos, assim como de adotarmos melhorias sobre os que já existem.