Novidades

O 25 CUIEET pretende, portanto, manter tudo o que de positivo foi verificado nas últimas 24 edições, tentando como mínimo igualar a qualidade das ações realizadas até ao momento, mas desejando dar um impulso ainda maior no que diz respeito a questões como as que se assinalam de seguida, por serem consideradas essenciais no objetivo que encerra o lema desta edição:

 “Inovação no ensino técnico num mundo por competências”

Em 2012, a CE apresentou “Um novo conceito de educação: investir nas competências para conseguir melhores resultados socioeconómicos (Rethinking Education, RE)” para “… animar os Estados Membros a tomarem medidas imediatas destinadas a garantir que os jovens possam desenvolver as capacidades e competências necessárias para o mercado de trabalho e para alcançar os seus objetivos em matérias de crescimento e emprego. Tudo isto, implicava a necessidade de melhorar as aptidões em proveito da empregabilidade…”.

No entanto, resultado e conclusões como os do estudo “barómentro de empregabilidade e emprego dos universitários em Espanha 2015”, realizado através de uma amostra de mais de 13000 graduados da coorte 2009-2010, de 46 universidades públicas e privadas, questionam que realmente se esteja a conseguir dar uma resposta acertada ao desafio proposto pelo cenário europeu RE, uma vez que se afirma que “(…) os graduados universitários exigem uma renovação dos métodos de ensino porque falta uma aprendizagem ativa baseada em projetos e estágios (…)”. Para estes alunos recém-formados, as metodologias educativas não se renovam, predominam as técnicas clássicas, pouco adequadas aos paradigmas educativos atuais. A aprendizagem de teorias, conceitos e paradigmas é a característica principal das metodologias educativas nas universidades espanholas. A aprendizagem ativa, baseada em projetos e em estágios, merece uma consideração menor (…)”…, entre outras conclusões que poderiam evidenciar a falta de sintonia entre alguns dos modelos educativos universitários em Espanha e os modelos de enfoque em competências cada vez mais implementados internacionalmente em organizações e empresas de todo o mundo.

 

A palavra COMPETÊNCIA é na atualidade utilizada frequentemente e parece não ter o mesmo significado para todos os que a empregam. Por esse motivo é necessário partir de uma definição comum que nos possa servir de ponto de partida. Nesse sentido, a visão que partilhamos no 25 CUIEET tem a ver com a definição (metodologia npS®) de competência presente na seguinte imagem, em que esta fica definida a partir de 6 aspetos ou elementos de competências: saber, saber dizer, saber fazer, saber ser, saber estar e saber querer (ou querer simplesmente):

AMPLIAÇÃO DAS MODALIDADES DE PARTICIPAÇÃO E DE DIFUSÃO DAS COMUNICAÇÕES ACEITES. REVISÃO POR PARES

O “Saber” é fundamental. Sem ele não se pode avançar, mas com ele, no mundo atual, não é suficiente. Por esse motivo, como em todos os congressos, deve existir um espaço para o acesso ao conhecimento e para a sua difusão. Este aspeto da COMPETÊNCIA ficará coberto, como em anteriores edições, com a qualidade das comunicações apresentadas, que permitirão, em cada área temática, pôr à disposição do resto dos assistentes o conhecimento mais atual relativamente aos vários temas abordados. As conferências plenárias e as mesas redondas selecionadas também contribuirão para esse propósito.

Como novidade na atual edição, foram ampliadas as modalidades de participação, tentado cobrir ao máximo o aspeto “Saber dizer” da COMPETÊNCIA, existindo modalidades de participação presenciais e virtuais, tanto nos formatos de comunicações escritas, póster e/ou vídeos. A participação em workshops e espaços coworking, como os que se descrevem de seguida, também contribuirá para a melhoria dos aspetos “Saber dizer” e “Saber fazer”.

 

É objetivo da atual edição realizar uma seleção e organização exaustiva de comunicações, sendo para o efeito realizada uma REVISÃO POR PARES de todas as que forem remitidas para avaliação através de rubricas. A difusão das comunicações será ampliada mediante as diferentes modalidades de publicação descritas neste espaço.

WORKSHOPS

Para contribuir para a competência “Saber dizer” e, especialmente, “Saber fazer”, aparece como novidade nesta edição a possibilidade de participar lecionando, de forma individual ou em grupo, um Workshop demonstrativo acerca de uma teoria, metodologia, experiência, ou simulação que deseje partilhar com os assistentes. Para isso, os interessados deverão preencher o formulário correspondente no momento da inscrição no Congresso.

A partir da Organização, serão propostos alguns workshops específicos aos que poderá assistir uma vez que estão incluídos na inscrição geral para o Congresso.

ESPACIOS COWORKING

Na linha dos aspetos “Saber ser” e “Saber estar”, uma das novidades que mais nos entusiasma nesta edição, prende-se com a possibilidade de estabelecer espaços de trabalho colaborativo entre os assistentes ao Congresso, que permitam iniciar relações entre eles com o fim de formar grupos de inovação/investigação nas suas áreas de interesse.

Deste modo, tendo sido feita a inscrição nos temas e áreas de maior interesse mediante o preenchimento do formulário correspondente, a Organização estabelecerá espaços de trabalho colaborativo de curta duração em que se reunirão pessoas interessadas em temas comuns, com o objetivo de fomentar entre elas a implementação de projetos conjuntos relacionados como a temática em questão. Estes espaços vão dar resposta a um plano de trabalho prévio que otimize o tempo da reunião, desenhado sob o modelo WIN-WIN, que será transladado com antecedência à realização do evento  a todos os inscritos que tivessem manifestado o desejo de participarem nestes espaços colaborativos.

Isto permitirá aumentar a rede de contactos ou o networking do congressista, sendo uma proposta para futuras edições do CUIEET a exposição dos progressos e dos resultados dos projetos conjuntos que se possam iniciar, funcionando o CUIEET como um meio de difusão posterior adicional para esses ditos projetos.

INTERNACIONALIZAÇÃO

Para contribuir para os aspetos “Saber ser” e “Saber estar” é imprescindível, hoje em dia, contemplar as Keywords CONTEXTO e COMPORTAMENTO, e junto a elas a INTERCACIONALIZAÇÃO.

É objetivo de esta edição contribuir para estes aspetos, aumentando o caráter de internacionalização do encontro, para o qual ampliaremos o leque de participantes aos nossos colegas de Portugal e da Ibero-América, especialmente, sem impedir a presença de outras visões dentro do espaço europeu e do resto do mundo.

Mas internacionalizar também tem a ver com GLOBALIZAR, daí que consideremos fundamental abordar temas (mobilidade, diplomas duplos, intercâmbios, etc.) como os que estão relacionados com este conceito através das várias temáticas propostas no congresso. Assim, vão estar presentes e são necessárias as habilidades que têm relação com o “saber ser” e o “saber estar” na adaptação a novas culturas, tradições, formas de ser e de comportamento… Alguns dos workshops seguem essa linha com o intuito de contribuírem à sua consecução. Também está convidado, por outro lado, a realizar no congresso contribuições que tratem essa temática.

PRÉMIOS

O último aspecto da COMPETÊNCIA, “saber querer” (para outros simplesmente “querer”) também deve ser, na opinião da Organização, objeto de tratamento especial nesta edição. Desta forma, haverá duas ações inovadoras que, do nosso ponto de vista, podem contribuir para a melhoria do evento. Por um lado, estão previstos vários PRÉMIOS por modalidades para as comunicações, workshops e/ou propostas que, de acordo com o júri e ao abrigo dos critérios estabelecidos, obtenham os melhores resultados. Por outro lado, o reconhecimento aos melhores desempenhos, representa um incentivo ao facto de “querer” participar.

PROGRAMA ESPECIAL DE LAZER PARA ASSISTENTES Y ACOMPANHANTES

A outra questão que incentiva e impulsa o “querer” tem a ver com o tempo de lazer que rodeia a ação docente/investigadora levada a cabo neste tipo de encontros. Achamos que para fomentar este aspecto é essencial contar com um extenso programa de lazer tanto para os assistentes como para os acompanhantes, que permita também melhorar questões como o “saber ser” e o “saber estar” das relações estabelecidas no evento.

Por essa razão, aconselhamo-lo a visitar a secção dedicada ao Programa de Lazer, onde poderá comprovar que viajar ao passado é possível nesta terra, desfrutando de momentos inesquecíveis relacionados com a passagem de diferentes povos por ela. Experiências como a da Extremadura Romana, Medieval, Árabe e a visita ao nosso vizinho Portugal, deixarão sem dúvida uma marca inapagável na memória dos assistentes e dos seus acompanhantes.

 

I ENCONTRO I&YE (Inovação e Jovens Engenheiros)

Finalmente, uma das principais NOVIDADES desta edição é a criação de um encontro que esperamos que se venha a repetir posteriormente em cada nova edição do CUIEET: o I Encontro Inovação e Jovens Engenheiros (I&YE).

Neste encontro pretendemos contar com a participação de jovens Engenheiros que estejam prestes a finalizar os seus estudos ou que já os tenham terminado recentemente, de forma a poderem apresentar as suas experiências, reflexões, propostas, ações de empreendedorismo, problemas, etc., durante os anos de passagem pelo Ensino Técnico ou da sua ainda curta experiência profissional, servindo de feedback para o resto de agentes que participam no processo ensino-aprendizagem, ao mesmo tempo que lhes permite mostrar o seu potencial a outros agentes da Sociedade, nomeadamente a empregadores, investidores,…

Achamos que, em sintonia com as reflexões que implicava o “Barómetro de empregabilidade e emprego dos universitários em Espanha em 2015”, este encontro permitirá não só conhecer de uma melhor forma o que está a acontecer lá fora, mas também utilizar essa informação para a melhoria dos cursos existentes ou para o desenho e implementação de novos cursos.

Em resumo, para muitos alunos e jovens engenheiros, este congresso representará uma montra donde poderão começar a forjar a sua marca pessoal mostrando as suas COMPETÊNCIAS.

Esperamos que esta nova edição lhe facilite a transição para um mundo por competências.

PORQUE COMPETE… SER COMPETENTE.